Jeep Renegade 2019 chega com reforço no pacote de conteúdos de série

O primeiro modelo nacional da Jeep fabricado em Goiana (PE) e que já teve mais de 160 mil unidades vendidas desde 2015 chega à linha 2019 com leves retoques estéticos e reforço no pacote de conteúdos de série.

O grande empurrão, porém, é o melhor custo benefício do modelo, que apesar de incorporar agora mais equipamentos, como sete airbags, teve os preços reduzidos nas versões mais baratas. A Sport 1.8 Flex manual tem preço sugerido de R$ 78,5 mil, R$ 7 mil a menos do que na linha 2018.  O ganho com a versão dotada de câmbio automático de seis velocidades é ainda maior: o desembolso caiu R$ 8 mil, para R$ 84 mil.

O Renegade tem ainda as versões Logintude 1.8 (R$ 97 mil), Limited 1.8 flex automática (R$ 103,5 mil) e as top Longitude 2.0 diesel 4×4 com câmbio automático de nove velocidades (R$ 125,5 mil) e Trailhawk 2.0 diesel 4×4 também com câmbio de nove velocidades (R$ 136,4 mil).

A partir da versão Longitude, o SUV incorpora agora multimídia com tela de 8,4 polegadas, a maior do segmento. Era claramente uma deficiência do Jeep perante os muitos concorrentes do segmento de SUVs compactos. As Sport flex, porém, seguirão com o para lá de modesto sistema de 5 polegadas.

As mudanças estéticas não são tão grandes a ponto de a FCA, como adotará na sua divulgação,  denominar a linha 2019  de Novo Renegade. Ao contrário, são bastante discretas.  Mudaram detalhes dos faróis, que nas versões superiores são em LED, da grade frontal, da tampa do porta-malas, que no caso dos flex adotam estepe menor, o que garantiu ganho de 47 litros de bagagem.

O para-choque dianteiro das versões flex talvez seja a alteração externa, junto com os faróis, mais perceptível para os menos atentos. Ele foi redesenhado de forma a ampliar o chamado ângulo de ataque que permite passar por obstáculos e valetas sem tantos riscos de danos ao conjunto. Agora ele tem 28 graus, muito próximo dos 30 graus verificados nos Renegade a diesel desde seu lançamento há três anos.

Com preços bem mais agressivos nas faixas de entrada do segmento de SUVs compactos – o maior dentre os utilitários esportivos e que já responde, sozinho, por 14% do mercado interno -, a FCA espera deter a investida de muitos concorrentes e encerrar o ano com cerca de 60 mil unidades do Renegade vendidas.

Se assim for, as vendas do modelo crescerão cerca de 20% sobre o ano passado. Até setembro, o modelo já vendeu 15% a mais. “Com esses valores, as Sport, que têm representado algo como 25% do mix, devem passar a 50% das vendas”, calcula Tânia Silvestri, diretora comercial e de marketing da Jeep.

Até setembro, a marca ocupa a nona colocação no ranking das mais vendidas no País, com 77,9 mil unidades negociadas. A participação de mercado já é de 4,4 %, 0,4 ponto porcentual a mais do que ao longo de 2016, quando foram vendidos 88 mil veículos da marca nacionais e importados.

fonte: AutoIndústria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *