Toyota anuncia produção de veículo híbrido flex em 2019

17/12/2018 – A Toyota do Brasil será a primeira montadora no mundo a fabricar um veículo híbrido com motor de combustão interna flex a gasolina e álcool. A nova tecnologia e o novo carro sairão da linha de produção no fim do ano que vem.

Segundo a empresa, o desenvolvimento e a decisão de ter um híbrido flex “está em linha com o recém-aprovado Programa Rota 2030, que oferece previsibilidade para as empresas investirem no longo prazo no País e estabelece, dentre outras medidas, novas políticas de estímulo a veículos mais eficientes”.

A Toyota afirma que o híbrido flex “tem um dos mais altos potenciais de compensação e reabsorção na emissão de CO2 gerado desde o início do ciclo de uso do etanol extraído da cana-de-açúcar, passando pela disponibilidade nas bombas de abastecimento e sua queima no processo de combustão do carro”.

O desenvolvimento teve participação inicial também da engenharia da Toyota japonesa, além da brasileira. “Este é um marco, não só para a Toyota do Brasil, mas para toda a indústria nacional”, afirmou em nota Steve St.Angelo, CEO da Toyota para América Latina.

Consultada, a Toyota não confirmou qual será o modelo nem em qual fábrica de suas três fábricas (São Bernardo do Campo, Indaiatuba e Sorocaba) ele será fabricado. É muito provável, porém, que seja o Prius, veículo sobre o qual foi apresentado o primeiro protótipo e que serviu para testes da nova tecnologia nos últimos anos.

O anúncio da produção de um híbrido era dado como praticamente certo assim que  foi sancionado o Rota 2030 na última terça-feira, 11, e cujo texto garante a redução de 3 pontos porcentuais sobre os índices estabelecidos no decreto 9.442, de 5 de julho, que definiu novas alíquotas para híbridos e elétricos.

Antes da sanção, no início do mês, o presidente da AEA, Associação Brasileira de Engenharia Automotiva, Edson Orikassa, revelou pressão do Ministério da Fazenda para que a Presidência da República vetasse a emenda proposta por representantes dos produtores de etanol.  Orikassa, que também é executivo da Toyota, admitiu que a aprovação da emenda  contibuirá para a aprovação do projeto.

fonte: AutoIndústria

Volvo Cars eleva vendas em 94%

17/12/2018 – Com crescimento de 94% nas suas vendas em 2018, a Volvo Cars encerra 2018 com mais um lançamento no mercado brasileiro. É a nova geração da station wagon V60, que chega em versão única de acabamento, a Momentum. O modelo já pode ser reservado em uma das 35 concessionárias da marca por R$ 199.950.

O recorde deste ano, num total de 6.070 unidades comercializadas até novembro, contra as 3.120 de 2017 (seu melhor ano até então foi 2012, com 5.212 emplacamentos), é atribuído pela marca sueca pertencente à chinesa Geely a uma série de lançamento de produtos globais, dentre os quais o XC40 e as versões híbridas do XC60 e do S90.

Um dos modelos da série 90, a nova station wagon, assim como o XC90 e o S90, é fabricada sobre a plataforma modular SPA (Scalable Product Architecture), o que garante, segundo a fabricante, proporções exclusivas e as mais recentes tecnologias de segurança.

Com a nova plataforma, o novo V60 ganhou entre-eixos 9,6 cm maior que a geração anterior. Além disso, os assentos dianteiros estão mais finos e os traseiros, desenhados para um melhor espaço para as pernas dos passageiros, garantindo mais conforto a todos. O porta-malas tem volume de 529 litros, que pode ser expandido para até 1.364 litros com o rebatimento dos bancos traseiros.

O V60 conta com transmissão automática de 8 velocidades acoplada ao renovado motor T5 Drive-E, de 2 litros, 4 cilindros em linha, com turbocompressor e injeção direta de gasolina, que produz 254 cv de potência máxima a 5.500 rpm e 350 N.m de torque entre 1.500 e 4.800 rpm.

A exemplo dos últimos lançamentos da marca, o V60 chega ao Brasil equipado com o City Safety de segunda geração com assistente de direção, que entra em ação quando a frenagem automática sozinha não é suficiente para evitar uma colisão em potencial.

A nova station wagon traz o sistema de entretenimento e conectividade Sensus Connect, acessível pela tela antirreflexo sensível ao toque de 9 polegadas de LCD no painel central, que reúne praticamente todos os comandos do veículo em um único lugar.

fonte: AutoIndústria

Ford confirma lançamento da Ranger Storm no Brasil

17/12/2018 – Após ser muito bem recebida pelo público durante a sua apresentação no Salão do Automóvel de São Paulo, a picape Ranger Storm será lançada no mercado brasileiro entre o final do ano que vem e o início de 2020. A confirmação foi realizada pelo próprio presidente da Ford América do Sul, Lyle Watters, na última quinta-feira, 13, durante reunião com a imprensa automotiva.

“A Ranger Storm foi apresentada como teste de mercado no Salão do Automóvel e a resposta do público foi tão positiva que estamos anunciando oficialmente o seu lançamento no Brasil daqui a doze ou treze meses”, comentou Watters.

Criada como conceito, a Ranger Storm, segundo a Ford, é uma versão de estilo diferenciado que valoriza a vocação off-road da picape. Externamente, o modelo que será produzido nos Estados Unidos traz pintura em duas cores com grafismos e elementos como alargadores de para-lama, para-choques off-road, rack de teto, snorkel, estribos laterais tipo plataforma e capota marítima. A grade dianteira traz o nome Storm em letras grandes.

“A transformação faz parte da vida”, comentou o presidente da Ford. “A diferença é que hoje ela ocorre num ritmo nunca visto. O consumidor brasileiro busca por marcas com as quais possa se relacionar e confiar, que mostrem honestidade, compromisso e segurança. Por isso, todas as transformações que estamos realizando hoje na Ford, tanto para fora como dentro da empresa, têm como ponto central o consumidor.”

Além de lembrar o investimento global de US$ 11 bilhões da Ford para lançar quarenta modelos híbridos e elétricos até 2022, Watters destacou as parcerias e aquisições nas áreas de carros autônomos, conectados e mobilidade.

No Brasil, por exemplo, a empresa lançou o aplicativo de serviços FordPass, que pode ser usado tanto por proprietários de carros da Ford como de outras marcas, e o Tapete de Acessibilidade, protótipo criado para facilitar a mobilidade de cadeirantes.

Com relação aos produtos da marca, o presidente da Ford destacou a vice-liderança do Ka no mercado de automóveis, as vendas estáveis do EcoSport e o sucesso do Mustang no segmento premium.

fonte: AutoIndústria

Modelos Land Rover agora trazem motor flex

04/12/2018 – Desenvolvido especialmente para o mercado brasileiro pelos engenheiros da fábrica da Jaguar Land Rover em Itatiaia, RJ, com o suporte da equipe de engenharia global que fica na matriz, o inédito motor Ingenium 2.0 flex passa a equipar os modelos Discovery Sport e Range Rover Evoque, que acabam de chegar nas quarenta concessionárias da marca com preços promocionais que envolvem descontos na faixa de 6,4% a 9,3%.

O motor de 240 cv e 34,6 kgfm de torque, que é o primeiro da Land Rover projetado para o uso de etanol e gasolina no mundo, conta com ampla utilização do alumínio, duplo comando de válvulas nos cabeçotes (com quatro válvulas por cilindro) e variador de fase para proporcionar melhor desempenho e economia.

Segundo a fabricante, o novo propulsor desenvolve 240 cv e é o mais potente motor flex no segmento de SUVs premium. O Discovery Sport sai da imobilidade aos 100 km/h em apenas 7,6 segundos e chega à velocidade máxima de 200 km/h. Já o Evoque, vai de 0 a 100 km/h em 7,3 segundos e atinge até 217 km/h.

“Tanto para o Range Rover Evoque, que possui uma proposta mais urbana, quanto para o Discovery Sport, que é o veículo ideal para o campo, identificamos a necessidade de oferecer essa opção aos clientes da Land Rover, que sempre buscam o máximo prazer em condução, aliado ao conforto e praticidade do dia a dia”, afirma Paulo Manzano, gerente de marketing e produto da Jaguar Land Rover.

Com a nova motorização flex, o Discovery Sport SE está custando R$ 214, 9 mil, ante preço de tabela de R$ 230,2 mil, e na versão HSE sai por R$ 240,9 mil, 6,4% a menos do que os R$ 254,5 mil da tabela. Já o Range Rover Evoque SE está com preço reduzido de R$ 234,5 mil para R$ 212,9 mil (menos 9,3%) e a versão HSE Dynamic do mesmo modelo baixou de R$ 271,2 mil para R$ 247,9 mil.

Produzidos na fábrica de Itatiaia, os dois SUVs são os mais vendidos da marca atualmente no País. As versões flex unem-se às versões a diesel do Discovery Sport e do Range Rover Evoque. Os modelos Land Rover são equipados com o exclusivo sistema Terrain Response, que ao simples toque em um botão ajusta todo o comportamento do veículo de acordo com o tipo de terreno em que se trafega.

fonte: AutoIndústria

Carro não será esquecido por jovens, aponta pesquisa

04/12/2018 – Uma pesquisa sobre a relação das diferentes gerações com a mobilidade foi divulgada durante Coletiva de Imprensa da Anfavea, no dia 07 de novembro, e revela o forte desejo de adquirir um carro na cultura brasileira. Realizada pela Spry, empresa de pesquisa presencial, e encomendada pela entidade, o estudo foi realizado em 11 capitais do País e ouviu um total de 1.789 pessoas segmentadas por geração: baby boomers (acima de 56 anos), X (de 36 a 55 anos), Y (de 26 a 35 anos) e Z (até 25 anos). Os entrevistadores foram questionados sobre o uso do carro e outros meios de transporte.

De acordo com a pesquisa, 49% dos baby boomers e 50% da geração X possuem veículos. Este número cai para 39% na geração Y e para 23% na geração Z.

No caso dos entrevistados que não possuem veículos, o estudo questionou sobre o desejo de comprar um nos próximos cinco anos. No resultado, 70% da geração Z afirmaram que desejam adquirir um modelo enquanto 69% dos entrevistados das gerações X e Y também têm a mesma intenção.

“Os resultados foram surpreendentes e tal conhecimento é fundamental para direcionar iniciativas da indústria”, afirmou Antonio Megale, presidente da entidade.

Sobre o número de pessoas que possuem ou não a licença para dirigir (Carteira Nacional de Habilitação/CNH), 35% da geração Z, a mais nova, estão habilitados. Da parcela que diz não possuir a carteira, 91% disseram que pretendem se habilitar. Na geração Y, 52% possuem CNH e 80% dos que não têm pretendem tirar a habilitação. Nos baby boomers e na geração X, os habilitados são 58% e daqueles que não estão, 24% e 59%, respectivamente, ainda pretendem se habilitar.

Sobre os diferentes tipos de meios de transporte, todas as gerações apontaram o carro como o principal: 38% dos baby boomers, 42% da geração X, 41% da Y e 40% da Z. Quem prefere carro como principal forma de se locomover aponta o conforto e a praticidade como principal atributo. O ônibus, que nas gerações dos baby boomers e X era de 15%, cai para 9% nas gerações mais recentes.

Com relação à frequência de uso dos diferentes tipos de transporte, a pesquisa aponta que aplicativos dedicados se apresentam como alternativa e não substituição de outros modais, mesmo nas gerações mais novas: apenas 9% do total de respondentes utilizam aplicativos de transporte como Uber ou 99 todos os dias. Mesmo na geração Z, a mais conectada de todas, 93% já utilizaram aplicativos, mas apenas 13% usam com uma frequência acima de três vezes por semana.

Sobre o futuro, 70% da geração Y e 66% da geração Z acreditam que o carro ainda será o principal meio de transporte no futuro. Do total de respondentes, 34% acreditam que aplicativos de transporte e carona compartilhada representam o papel do carro no futuro, enquanto 32% avaliam que o carro como conhecemos continuará sendo o principal meio de transporte. Apenas 3% acreditam que o carro vai virar item de museu.

fonte: AutoIndústria